Transplante capilar

 

Transplante capilarQuando o paciente com alopecia não responde ao tratamento clínico, o transplante capilar surge como uma opção. Esta modalidade cirúrgica que avançou consideravelmente na última década. Consiste na retirada de fios de cabelo, ou unidades foliculares (UFs) de uma área não acometida pela calvície, normalmente a região occipital, a parte posterior do couro cabeludo, e seu transplante para as áreas calvas. São elegíveis para o procedimento os pacientes que tem uma área de calvície menor e que contam com uma boa área doadora, pois o tratamento exige mais de uma sessão.

O procedimento precisa ser realizado por um médico especializado, em centro cirúrgico, com anestesia local e sedação. Inicialmente, faz-se a demarcação das áreas doadora e receptora. Após o posicionamento e monitorizarão, inicia-se a retirada das unidades foliculares, que são transplantadas, uma a uma, por meio de microfuros. O procedimento deixa cicatrizes imperceptíveis e é finalizado com um curativo; exige reclusão do paciente por um curto período e cuidados pós-operatórios. Complicações sérias são raras.

Atualmente, as técnicas mais empregadas são a FUT (Folicular Unit Transplant) e a FUE (Follicular Unit Extraction). FUT é a técnica mais convencional, na qual as unidades foliculares são obtidas a partir da retirada de uma faixa de couro cabeludo da região posterior da cabeça, que será dissecada e cortada em unidades foliculares, utilizando microscópios específicos para esta finalidade e equipe altamente treinada este procedimento.

Já a FUE é considerada um avanço, pois as unidades foliculares são removidas da área doadora por meio de punches que têm, geralmente de 0,75 a 1,0 mm de diâmetro. Desta forma evita-se a presença de cicatriz linear. Como as cicatrizes tendem a ser diminutas e muitas vezes invisíveis, a FUE possibilita ao paciente usar o cabelo curto ou até mesmo raspado.

Ao contrário do que ocorria no passado, as modernas técnicas conferem um aspecto mais natural ao paciente. O profissional escolhe cuidadosamente as áreas onde as UFs serão enxertadas e se preocupa com o posicionamento dos fios, para evitar o aspecto despenteado ou o efeito “cabelo de boneca”. Como as UFs são implantadas por inteiro, com músculos e glândulas, os cabelos voltam a crescer normalmente algum tempo após o procedimento.

Como em todos os tratamentos dermatológicos, é importante optar por um profissional devidamente qualificado e avaliar bem a opção pelo procedimento, pois um transplante mal indicado ou mal feito pode trazer resultados decepcionantes.